Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »

domingo, 30 de abril de 2017

2a. quinzena de abril - aleticiale2017

Li/I've read...

Shopaholic to the rescue, Sophie Kinsella - in pursuit of my Kinsella marathon, this was the last of the shopaholic series. I've found out it was the only one I didn't have in my shelves, but I had it on kindle. (usually I have both, sue me, I'm a fan). Honestly, I don't like it very much. It revolves around Becky Bloom after her estranged father and her best friend's husband, who suddenly decided to go on a trip to the desert nobody knows why. She is escorted by her mother, her mom's best friends, a couple who live next door, the aforementioned best friend and Alicia Bitch Legs. Everybody who knows the books already thinks it's fishy, but it only goes down the hill from here: the best friend is a total bitch to her throughout the whole book, and even though at the end it is all revealed and teary, this was a decoy used two books before, so not only is it a bit unbelievable but also monotonous. The mother is in total hysterics, and after a while you just want to know why Becky doesn't go on some therapy to realize she is a punch bag for all these people. I know she has a heart of gold, but there is that and there is this book. It annoys me.

Remember me?, Sophie Kinsella - the story is cute and the characters too, but I saw myself deeply bothered by the fact that there was some romance going on that shouldn't be happening. Can't say any more. Spoilers on goodreads.


Twenties girl, Sophie Kinsella - I'd completely forgotten this ghost modern story that revolves around a headhunter and a dead aunt mingling in search of a necklace with a plot twist and everything. Even though the hero is not the typical sweetie Kinsella writes about, it's fun and light.

Undomestic goddess, Sophie Kinsella - the plot is so absurd it seems like a Mexican soap opera. A totally driven lawyer, on the eve she's about to become full partner, is found out to have made a horrible mistake that costs 50 million pounds to the company, and completely crazed, she ends up in a manor in the countryside, mistaken by the housekeeper sent by the agency (btw, apparently nobody else ever applied) and there she stays. You'd think it's hard to pull it off, but then you're not Sophie Kinsella. It's light, fun, easy to relate to Samantha, as absurd as it sounds, and the only thing that kept me from giving it 5 stars was the ending with the three times she goes back and forth. Can't one of Sophie's heroines be actually determined?? :P

Wedding night, Sophie Kinsella - I like the main plot and the subplot! Fliss'story is almost as interesting as Lottie's, and for that matter, Lorcan is almost as interesting as Richard or Ben. I'll say no more.


As pequenas memórias, José Saramago
Quem sabia que o nome do Saramago nem era Saramago, e foi "o primeiro caso no qual o filho teve de dar nome ao pai?" eu não! esse livro é uma autobiografia da infância dele, e embora as histórias não tenham muita costura entre elas, como ele não está mais entre nós nesse planeta, é sempre um prazer ler o que restou :)

Claraboia, José Saramago
Aparentemente esse foi um livro cuja publicação foi recusada, mas o que eu acho é que talvez um certo guia e editor tivesse ajudado. Os personagens são interessantes e a narrativa também, mas achei que termina meio sem precisar, sabe? queria saber um pouco mais de alguns deles, um pouco menos de outros... não sei. Se você leu, me conta o que achou.

Um teto todo seu, Virginia Woolf
Emprestado de uma amiga, esse livro foi uma surpresa. E colocou Virginia Woolf tão acima no meu conceito! Que mulher conseguiria escrever com tanta propriedade e racionalidade sobre a mulher na ficção (o tema que lhe foi pedido) e enveredar pelo empoderamento feminino EM 1930? Sensacional. Na minha ignorância, estou pra te dizer que ela também fala bastante da meritocracia, quando basicamente descreve  os x escritores famosos da época e suas condições. Ela diz que para a mulher escrever ela precisaria de 500 libras por ano e um teto todo seu, sem depender de outras pessoas. Livro fácil, não só por ser interessante mas pelo tom, e relevante. Recomendo.

A ilha contada, conto contemporâneo em Cuba.
Tenho esse livro na estante há anos. Tenho parentes em Cuba, e tinha uma natural curiosidade em saber o que se escreve lá hoje em dia. Foi curioso. Menções a parques de diversões, a jogos de baseball, dramas humanos, um colorido interessante, dois contos que amei, outros que não curti. Mas sempre aumenta a perspectiva, né? É bom saber que nosso mundo não é só aqui.

Fundamentos de psicologia analítica, C Jung
Um dos personagens de livros que eu li estudava símbolos e pensei que seria interessante reler Jung, vinte anos depois (fiz psicologia, mas nunca exerci). E foi. Acho esse suíço muito centrado, muito "com noção",  sabe? Esse livro é uma transcrição de cinco conferências que ele fez em tavistock, e é bem velho, mas didático, porque ele ainda está falando bem lentamente das funções de pensamento, começando a contar da análise de sonhos, dando mérito a Freud e Adler, falando do inconsciente de Kant, colocando pingos nos is. Bem interessante, mesmo pra quem não fez graduação na área.

2 comentários:

  1. Olá Leticia! Então, como falei no Instagram, Virgínia me coloca um certo medo, é aquela questão de todos falarem que é uma escrita difícil. Sua indicação me fez ter vontade de tentar. Abraço! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me conta quando tentar :) acho que vc vai curtir!

      Excluir